Bruxismo: sintomas, causas e tratamentos

Uma doença silenciosa e muitas vezes deixada de lado, o bruxismo é um distúrbio funcional do corpo humano que por vezes é menosprezado e desconhecido por muitas pessoas. Mas suas consequências podem ser graves.

Alguns indivíduos não sabem que esse mal é o causador de alguns problemas, justamente por ser um hábito inconsciente que ocorre em silêncio. Trata-se de um “simples” ranger de dentes. Algo simples que provoca fortes dores de cabeça, problemas na mandíbula e enfraquecimento dos dentes, por exemplo.

As principais causas

O bruxismo está atrelado a algumas causas que requerem, às vezes, tratamento com profissionais de diferentes áreas. É comum que se associe com a apneia no sono, que são aqueles momentos que involuntariamente deixamos de respirar enquanto dormimos e o corpo, percebendo a falta de respiração, tenta desobstruir alguma via, fazendo-nos ranger os dentes para passar ar.

Mas, talvez a causa mais comum seja o estresse: quando rangemos os dentes em momentos de tensão, nervosismo ou ansiedade durante o dia. Pode até acontecer em momentos de concentração e foco durante alguma atividade diária. Há também quem defenda que o mal é causado por hereditariedade e má posição da arcada dentária.

Como identificar o bruxismo

Os primeiros sintomas dessa desordem funcional são as dores de cabeça e no maxilar, que são as mais constantes. Quem sofre com isso percebe que seus dentes estão com pequenas trincas, desgastados e amolecidos.

Dores e zumbidos no ouvido são frequentes. Além de problemas na região da cabeça, o pescoço também apresenta dores. O indivíduo também pode apresentar dificuldades para dormir.

Como tratar

Não é garantido uma cura. O que se pode fazer é um tratamento para diminuir as consequências. A ida regular ao dentista é uma forma de se evitar que a disfunção agrave com o tempo. Diagnóstico confirmado, o primeiro passo é descobrir a causa.

Para aqueles que possuem o tipo noturno, recomenda-se a placa de resina acrílica (tecnicamente chamado de placas oclusais estabilizadoras ou miorrelaxantes). É uma medida para evitar maiores danos aos dentes, além de proteger a articulação temporomandibular.

O tratamento contra o distúrbio vai além das receitas médicas: ele passa por uma mudança de rotina, como a prática de exercícios físicos, meditação e horas certas para se dormir e acordar, por exemplo.

Como dito, essa desordem pode ter causa em problemas emocionais. Por isso, é também recomendado que a pessoa procure por um psicólogo para melhor compreender as causas de seus estresses, medos ou angústias, para assim ter um melhor aconselhamento de como proceder para minimizar suas consequências.

Dicas para amenizar o bruxismo

Algumas pequenas medidas durante o dia podem fazer com que o bruxismo ocorra com menos frequência. A primeira dica é ir regularmente ao dentista; em momentos de maior tensão, foco ou de situações complexas, evite apertar os dentes; para aqueles que já apresentam sintomas, é altamente recomendado que se evite mascar chicletes.

Além disso, é importante ter uma vida com hábitos saudáveis, com práticas de exercício físico, boa alimentação e horários regulares para se alimentar e dormir.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgiã bucomaxilofacial em São Paulo.

 

Comentários
Dra. Maximiana Maliska

Posted by Dra. Maximiana Maliska