Prognatismo

Prognatismo: causas e sintomas

Conhecido também como mandíbula de Habsburgo ou mandíbula da Áustria, o prognatismo mandibular é uma deformidade dentofacial em que o maxilar inferior se projeta para a frente. Esse tipo de estrutura bucal afeta o desenvolvimento tanto da maxila quanto da mandíbula, fazendo com que os dentes incisivos da arcada inferior ultrapassem o da arcada superior.

Dentre as características faciais de um prognata, estão o lábio inferior mais volumoso e avançado em comparação ao superior e queixo proeminente. A mandíbula de Habsburgo causa deformidade e desarmonia no rosto, podendo, inclusive, afetar a autoestima.

No entanto, mais do que um problema estético, as características da ossada facial do prognata não permitem que a mordida seja feita corretamente. Além disso, há, também, modificação na relação da articulação temporomandibular e acomodação imprópria dos tecidos da orofaringe. Com isso, a mastigação, a fonação e a respiração são prejudicadas. 

Neste artigo, trazemos mais informações sobre essa condição. Confira!

Sintomas do prognatismo

Um dos sinais desse problema é a alteração da posição dos dentes incisivos: os superiores ficam na mesma direção ou retraídos em relação aos dentes da parte de baixo, causando um mal encaixe. Além de afetar a estrutura da boca, esse problema provoca:

  • ruídos articulares;
  • dor de cabeça, de ouvido e dos músculos da mastigação;
  • alterações respiratórias e na mastigação.

Causas da condição

Fatores genéticos e hereditários são os grandes responsáveis pelo surgimento da mandíbula de Habsburgo. Nesse caso, são perceptíveis algumas características específicas faciais, já que a pessoa pode apresentar o desenvolvimento irregular dos ossos desde quando bebê. Por ter grande influência genética, deve-se ficar atento a casos de mandíbula de Habsburgo na família, já que, com o diagnóstico precoce, o tratamento é realizado de maneira preventiva em crianças que ainda possuem a dentição de leite.

Porém, esse tipo de problema está associado, também, a disfunções funcionais como a interposição lingual e problemas respiratórios. Outro fator muito comum que afeta diretamente o desenvolvimento dos ossos da face são os hábitos deletérios, ou seja, o uso de chupetas e o hábito de chupar os dedos. Além disso, pode estar ligado, também, a traumatismos e malformações congênitas.

Tratamentos para o problema

O tratamento para o prognatismo é realizado de acordo com a fase em que ele se encontra. Dessa maneira, ele pode ser feito em três partes:

Tratamento preventivo

É feito ainda em crianças que têm dente de leite. O médico observa se há alterações na arcada dentária e, com isso, solicita exames radiográficos para a comprovação. Nessa fase, o tratamento pode ser feito por meio de resinas em alguns dentes, com o objetivo de controlar o movimento da mandíbula e da maxila. Além disso, pode ser indicado o uso de aparelhos ortodônticos. 

Tratamento interceptativo

Esse tipo de tratamento acontece quando a mandíbula de Habsburgo está se instalando, mas o paciente ainda não chegou à puberdade. Cabe ao dentista avaliar a melhor forma de tratamento de acordo com a situação e evolução de cada caso.

Tratamento corretivo

É feito após o pico de desenvolvimento da puberdade e de acordo com as características de cada caso. Geralmente, envolve o uso de aparelhos ortodônticos ou ortopédicos. A indicação para cirurgia ortognática é feita apenas quando o uso dos aparelhos não surtiu o efeito desejado.

O prognatismo traz prejuízos para a saúde e para a qualidade de vida de uma pessoa. Quando descoberto precocemente, o resultado que se alcança no final do tratamento tende a ser mais satisfatório e duradouro, mas isso não impede que a mandíbula de Habsburgo seja tratada em qualquer idade. 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgiã bucomaxilofacial em São Paulo.

Comentários
Dra. Maximiana Maliska

Posted by Dra. Maximiana Maliska